Só Jesus Cristo é o Senhor

Abrindo -se para a Vida

TEXTO: Marcos 7:31-37
Este texto, a meu ver, descreve uma das situações mais hilariantes, mais engraçadas e esquisitas do novo testamento. Isto porque Jesus cura um homem que é mudo e lhe pede que não diga nada a ninguém a respeito do que lhe fora feito.
Imagine a situação: o homem, até então, fala com muita dificuldade, mas Jesus o cura. Ele começa a falar fluentemente. Contudo Jesus lhe recomenda:
– Não diga a nada a ninguém.
– Mas como, Senhor?... Agora que consigo falar, só vou poder chegar às pessoas e dizer-lhes um Ôi, gente!... Eles nunca me ouviram falar desembaraçadamente! Ou Ter que contar-lhes o que me fizeste!
Jesus insiste, – Não diga nada a ninguém.
O texto em questão começa situando Jesus numa geografia muito conhecida pelos leitores da Bíblia, sobretudo do novo testamento, e especificamente dos evangelhos, onde se diz que ele havia deixado o país, passado a fronteira e ido à terra de Tiro e de Sidom. Saindo daí, pela terra de Sidom, contornando o Mar da Galiléia seguiu em direção de outra região igualmente conhecida dos que lêem a Bíblia: Decápolis. Esta era constituída por dez cidades gregas, entre elas Gadara e Gereza, sobre as quais os evangelho narram, um episódio em que Jesus liberta um homem possesso por uma legião de demônios – milhares de psiquismos, vozes, desejos e vontades Mt. 8:28-34. Eles penetravam-no, dilaceravam-no, tendo feito dele um superesquizofrênico, tomado por forças espirituais as mais variadas, que muito o atormentavam-no. Jesus então repreende a legião de demônios, trazendo-lhe lucidez, e fazendo-o assentar-se a seus pés, plenamente curado, calmo, quieto, em perfeito juízo, sem tiques nervosos, sem se ferir, sem a agitação paranóica incontrolável, sem a tempestade e o trovão que cotidianamente lhe habitavam a alma.
Quando uma sociedade tem a sorte de encontrar um doido, ela se sente um pouco melhor, tal acontece na casa da gente: a ovelha negra carrega os pecados da família inteira, de maneira que o pai se julga sadio, a mãe, lúcida e os irmãos se sentem melhor. Isto porque têm um filho, ou um irmão, que é maluco. E a maluquice dele, gera uma certa sensação de que os outros são normais. Do mesmo modo, quando um homem que carrega a culpa da sociedade inteira é curado e um prejuízo terrível é dado a ela, seus membros entram em crise Mt. 8:34 então dizem quem foi o causador, o provocador do prejuízo sai daqui vai embora não te queremos aqui como disseram para Jesus.
Jesus volta ao mesmo local do qual fora expulso. E certamente, chegando ali, as repercussões do milagre que operara na vida do gadareno atingem a vida do surdo e gago, do texto de Marcos 7. Isto porque, passando Jesus por Decápolis, lhe trouxeram um surdo e gago, e lhe suplicaram que impusesse a mão sobre ele Mc 7.32.
Jesus então olha para o homem, que é surdo e fala dificilmente, e o leva para fora da cidade. E ali distante da multidão, põe-lhe os dedos nos ouvidos e lhe toca a língua com saliva, num ritual que pode parecer totalmente extravagante ordenando que se abram, oração e cura.
É muito provável que esse homem lacrado, fechado como um cofre, tivera os seus sentidos bloqueados em razão de algum trauma muito forte, pois não apresentava, aparentemente, nenhum obstáculo, do ponto de vista físico, mas existia um mundo de complexos dentro dele. Jesus não o cura na presença de outras pessoas. Ele o tira da multidão não se encontrava preparado para receber um milagre publicamente. Ser objeto de observação. Há um tipo de fragilidade nele que o inibe, que o impede de se expor, de se deixar ver. E Jesus, com toda a sua sensibilidade divina, todo o seu respeito pelas complexidades humanas, olha para aquele homem e chega a esta conclusão. Retira-o dali leva-o para um lugar mais afastado, mais solitário, onde lhe faria o milagre.
Emocionalmente falando, esse homem tinha limitações profundas. O mal dele era o mal da introversão mais radical: incapaz de se comunicar, abrir a boca para falar, não havia portas de entrada nem portas de saída na vida dele, não ouvia o que vinha de fora, nem conseguia expor verbalmente coisa alguma que trazia dentro de si: estava lacrado. Se não enxergasse, poderíamos dizer que se encontrava encerrado numa tumba, porque as vias de comunicação estavam completamente trancadas. Só Deus conhecia os motivos que o haviam levado a fechar-se desta maneira.
CONCLUSÃO:
Você sabe que a sua mulher, em casa, reconhece que você é surdo, que você é mudo. Você deve ter consciência da dificuldade enorme que ela vem enfrentando, em se fazer ouvir por você como também de arrancar-lhe ao menos umas poucas palavras. Eu acredito que em áreas, em seções, em departamentos da vida de muitos habitam uma surdez e uma mudez absolutamente totais. Cada vez ouço mais senhoras desabafando .dizendo irmão eu não consigo me fazer ouvir por meu marido, pais reclamando da comunicação dos seus filhos, e filhos reclamando desta falta de comunicação. Grito falo mais não mi dão ouvidos.
Outras vezes ouço senhoras desabafando: “a última confissão de amor que ouvi na vida foi no namoro. Nunca mais saiu nada, ele se fechou, se amordaçou, se lacrou. Entrou num cofre e trancou a porta por dentro, tornando absolutamente impenetrável.
Talvez esteja acontecendo isso com você, você sofreu um trauma. Um dia se abriu,, se deu, acreditou, tornou-se vulnerável, ouviu falou, mas levou em troca uma cacetada tão violente no meio das emoções que resolveu nunca mais ouvir ninguém, abrir a boca para mais nada fechou-se.
A missão é pegá-lo pela mão e levá-lo até a presença daquele que estava lá em Decápolis, pedir a ele que pode tudo sobre todas as coisas, pois ressuscitou dos mortos que ponha a mão sobre você, passe sua santa saliva na língua e lhe permita ouvir esse suspiro esse desejo irreprimível.
Jesus põe os dedos nos ouvidos do homem, unge-lhe a língua com saliva. Olha para o céu, suspira e diz EFATÁ- que quer dizer abre-te.
Você não foi feito para estar lacrado ou preso dentro de si desbloqueie-se de tudo que o está impedindo de viver, você tem que reaprender a ouvir , reaprender a falar, tem que abrir a concha, sair da ostra. Tem que se desencaramujar Deus quer que você ouça esta palavra eterna EFATÁ abre-te.
Abra a boca e revele à sua mulher a angustia que guarda no coração abra os ouvidos para ouvir o clamor dela e de seus filhos conte-lhes seu trauma, sua frustração, sua dor, sua amargura esvazie-se do pote de fel guardado no beco mais escuro da sua alma, derramando-o para fora de você. Deslacre-se desses sentimentos ruins.
O que estou querendo dizer com isto estou dizendo que Jesus vem, põe a mão na sua cabeça, unge-lhe os lábios com saliva ele nos fez para ficarmos livre aberto onde possa viajar luz amor esperança graça por isto ele diz EFATA abre-te.
 

Pesquisar no site

Foto utilizada com a permissão da Creative Commons Neil Armstrong2  Redação: Pastor Geciano Vieira