Só Jesus Cristo é o Senhor

A Arte da Guerra 2

A Arte da Guerra - Parte 2
Segundo: Falando palavras de ânimo de uns para os outros
Autor(a): Pr. Josué Gonçalves

 

 

O povo de Israel, cercado diante do mar Vermelho, sem ter para onde escapar ouviu de Moisés palavras animadoras: "Aquietai-vos e vede o livramento do Senhor" (Ex 14.13,14). Naquela ocasião, aquietar-se, soaria aos nossos ouvidos como uma palavra não muito boa. Num beco sem saída, cercado por obstáculos por todos os lados e com o mar à frente, aquietar-se não era uma palavra apropriada e confortadora. Mas quando não havia mais escape, Moisés sabia que o livramento viria do Senhor, e encorajou o povo de Deus.

Noutro episódio, anos depois, quando todo o povo de Israel se escondia em cavernas com medo dos filisteus, Jônatas, filho de Saul falou ao seu escudeiro: "Vem, passemos à guarnição destes incircuncisos: porventura o Senhor nos ajudará nisto, porque para o Senhor, nenhum impedimento há de livrar com muitos ou com poucos" (1 Sm 14.6). Esta deve ser a confiança de todo guerreiro do Senhor que se dispõe para a batalha espiritual. Ele tem que ter certeza de que o Senhor pode vencer com muita ou com pouca gente.

Ao guerrear contra uma aliança de reis da Mesopotâmia, da Síria e de Amom, que vieram com um poderoso exército contra Israel, Davi ajuntou todos os valentes de guerra liderados por Abisai e por seu irmão Joabe e este animou a Abisai com palavras de ânimo: "Sê forte, pois; pelejemos  varonilmente pelo nosso povo e pelas cidades do nosso Deus; e faça o Senhor o que bem lhe parecer" (1 Cr 19.13). Com determinação de se ajudarem mutuamente na peleja, eles venceram a guerra, pois se animaram para a batalha. O segredo da vitória é a coragem; e coragem se adquire, principalmente quando se recebe o incentivo de outra pessoa.  

O rei Ezequias tinha diante dele um grande exército comandado pelo rei da Assíria que o desafiou e falou contra o Senhor dos exércitos. Ezequias congregou toda a cidade de Jerusalém "e lhes falou ao coração, dizendo: sede fortes e corajosos, não temais nem vos assusteis por causa do rei da Assíria, nem por causa de toda a multidão que está com ele, porque um há conosco maior do que o que está com ele. Com ele está o braço da carne, mas conosco o Senhor nosso Deus, para nos ajudar e guerrear nossas guerras" (2 Cr 32.6-8). E a Escritura afirma que "o povo cobrou ânimo" com estas palavras do rei. O resultado se viu mais tarde quando o Senhor mandou um anjo que desbaratou todo o exército do rei da Assíria!

Neemias, depois de passar três dias em Jerusalém, olhando os escombros da outrora pujante cidade, parece desanimar diante da tarefa que se propunha levar adiante. Ele expõe a situação aos homens que com ele estão e ouve de seus ajudadores uma palavra que fortalece e encoraja qualquer líder. Aqueles homens lhe disseram: "disponhamo-nos e edifiquemos" (Ne 2.18). E o texto conclui, dizendo: "E fortaleceram as mãos para a boa obra".

O profeta Sofonias declara: "O Senhor teu Deus está no meio de ti, poderoso para salvar-te; ele se deleitará em ti com alegria; renovar-te-á no seu amor, regozijar-se-á em ti com júbilo" (Sf 3.17) Os líderes que estavam na restauração do templo disseram a Esdras: "...nós seremos contigo: sê forte e age" (Ed 10.4). Davi antes de morrer chama a Salomão, seu filho e o encoraja com uma palavra animadora: "Coragem, pois, e sê homem!" (1 Rs 2.2).

É o que se vê também no Novo Testamento. Paulo encoraja a igreja de Corinto, dizendo: "Portanto, meus amados irmãos, sede firmes, inabaláveis e sempre abundantes na obra do Senhor..." (1 Co 15.58). Nas cartas enviadas às sete igrejas da Ásia o Senhor Jesus Cristo encoraja cada igreja com uma promessa ao vencedor: "Ao vencedor...". Deus nunca afirmou que os cristãos passariam incólumes por todas as aflições e tribulações e fortalece seus filhos nos momentos difíceis. "Não temas as cousas que tens de sofrer... o diabo está para lançar em prisão alguns dentre vós... sê fiel até a morte..." (Ap 2.10). Este é um dos muitos textos onde os cristãos são encorajados à batalha e também encorajados a sofrer e até a morrer pelo nome de Jesus.

Pesquisar no site

Foto utilizada com a permissão da Creative Commons Neil Armstrong2  Redação: Pastor Geciano Vieira