Só Jesus Cristo é o Senhor

Trabalhando com coral

25/04/2011 13:11

 

Trabalhando com um coral
por Raquel Emerick

Nada se compara ao valor de um coral bem ensaiado, bem organizado, com expressões faciais e corporais animadoras! Qual ministro de louvor não ficaria maravilhado em ter um coral de 50, 100, 200 ou mais pessoas, lhe auxiliando em sua ministração, fazendo com que a união de tamanha equipe somasse musicalmente e também espiritualmente? 
 

Antes de continuar lendo este texto ajude-nos

a manter o site no ar. Bastar clicar aqui



Repito que nada se compara a um coral que ministra com excelência! No “Seminário Cristo para as Nações”, temos um coral maravilhoso e sempre reforço a idéia principal com eles: cada indivíduo do coral é um ministro de louvor. Não é simplesmente um monte de pessoas cantando alguma divisão de vozes!

Parece um efeito ‘bola de neve’, quando o coral inteiro se vê como ministros, como líderes no momento de louvor. A postura diferente gera uma força espiritual na ministração que é sem dúvida incomparável a se o ministro estivesse sozinho!

A união do Corpo de Cristo gera unção. Isso é Bíblico!

Então, quero deixar algumas dicas práticas.

1. Tenha um alvo. Escolha o repertório a ser ensaiado. Não se prenda a músicas antigas. Sempre tenha algo novo para apresentar! É bom ter músicas antigas com arranjos novos, roupagem nova. Mas não hesite em inovar sempre! Para seu alvo ser cumprido pense em estratégias que funcionem para seu grupo: Cada um adquirir um CD de ensaio simples, que contenha somente a voz de seu naipe.

2. Tenha sempre tempo para ensino. Durante os ensaios de seu coral, sempre busque ensinar – musicalmente e também estudos bíblicos. O povo erra por não ter quem os ensine. Separe momentos no início de cada ensaio para um devocional e estudos variados – divisão de voz, música na Bíblica, teologia do louvor, presença de palco, expressão corporal e facial, princípios bíblicos, etc.

3. Valorize os membros. Nada melhor do que um líder que enxerga pessoas, e não somente multidão. Seja compassivo, seja atencioso. Envie cartões de aniversário; observe os semblantes, olhares e tom de voz. Às vezes as pessoas chegam cheias de problemas, e um líder que as conhece bem, é capaz de encoraja-las com palavras, tirar alguns minutos para orar com elas, perguntar o que está acontecendo, se preocupar genuinamente, etc. Não ‘use’ os dons. ABENÇOE pessoas – afinal, este foi o ministério de Jesus!

4. Seja exemplo. Seja pontual. Seja uma pessoa de oração. Seja uma pessoa que busca aprender mais. Saiba ouvir sugestões. Aprenda a louvar em todo o tempo e nunca abrir os lábios para murmurar. Escolha a excelência – não ensaie umas poucas vezes, deixando que as músicas fiquem mal executadas! Busque excelência.

5. Resolva os conflitos. Se você é líder, deve observar sempre os relacionamentos do grupo entre si. NUNCA permita que as pessoas estejam com conflitos não resolvidos. A maior estratégia de satanás em meio a uma equipe é semear desunião. Quanto maior o grupo, mais atenção deve ser dada à união. Se o líder não confrontar e resolver os problemas de desunião, a força e eficácia da equipe serão minadas a cada dia. Lute pela união com todas as suas forças. Esse é um dos seus alvos principais como líder – manter a paz, ordem e bom andamento de sua equipe! 

Raquel Emerick

Voltar

Pesquisar no site

Foto utilizada com a permissão da Creative Commons Neil Armstrong2  Redação: Pastor Geciano Vieira